27 nov 2018

Núcleo de Prática Musical no Bairro da Paz realiza 4ª Feira da Música

A vida de jovens da comunidade tem sido transformada graças à participação no Núcleo

Nos dias 27, 28 e 29 de novembro, o Núcleo de Prática Musical, que funciona dentro do Programa Avançar, no Bairro da Paz, em Salvador, realiza a 4ª Feira da Música. Criado em 2013, a partir de uma parceria entre a Santa Casa da Bahia e o programa NEOJIBA, o Núcleo oferece ensino musical, por meio da prática orquestral e coral, além de realizar um trabalho de mobilização comunitária para promover a difusão e o acesso à música. Hoje, atende cerca de 130 jovens de 8 a 18 anos.

Durante a Feira, que é aberta ao público, as crianças e adolescentes que integram o Núcleo vão recepcionar os visitantes e abordar a música clássica dos séculos XVIII e XIX, destacando o trabalho de artistas como Mozart e Beethoven. Na ocasião, eles também vão apresentar algumas notas de músicas destes e de outros compositores do período.

Lívia Santos Silva, 17 anos, é uma dessas jovens. Moradora da comunidade, ela integra o Núcleo desde o início e conta que sua vida mudou bastante graças ao seu envolvimento com o projeto. “Aprendi muitas coisas nesses cinco anos, conheci gente que eu não conhecia, fiz amizades e aprendi a domar minha preguiça”. Preguiça? Ela explica. “A Lívia de antes do Núcleo era muito preguiçosa, adiava as coisas. A Lívia de hoje aprendeu a correr atrás daquilo que acredita”.

Coordenador pedagógico do Núcleo, o maestro Esdras Efraim acredita que essa mudança é uma das principais forças da música. “A beleza dessa arte produz efeitos visíveis e duradouros. A música influencia nossa mente, emoções e intelecto”, afirma ele, que também chama atenção para a importância da dedicação ao fazer musical. “Consistência, paciência e persistência são essenciais para atingir a excelência”.

Lívia bem sabe disso e se dedica bastante a treinar e melhorar cada vez mais. Dentro do Núcleo, seu companheiro inseparável é o fagote, instrumento de sopro com tubo mais largo, sistema de palheta dupla e sonoridade mais grave. “Logo no inicio, até toquei oboé, mas quando conheci o fagote me apaixonei”, derrete-se.  A paixão pela música é compartilhada dentro de casa. Suas sobrinhas Naiane e Milena também fazem parte do Núcleo e representam uma forma de apoio. “Trocamos figurinhas, estudamos juntas, nos incentivamos”, diz.

Aprende quem ensina – O trabalho coletivo é uma das lições passadas para os jovens dentro do Núcleo. “Aqui se aplica o lema ‘aprende quem ensina’. O conceito é simples: o que você verdadeiramente sabe, você já tem capacidade e um dever moral e social de passar adiante”, informa Esdras. No ano passado, Lívia teve a experiência de ser monitora no Núcleo e compartilhar o que sabia com outros membros. Hoje, se tornou jovem aprendiz contratada pelo programa NEOJIBA, unindo a paixão à oportunidade de ter uma fonte de renda.

Atualmente, ela vai ao Núcleo quatro vezes por semana: segunda, terça, quinta e sexta-feira. Às quartas-feiras e aos sábados, ela participa dos ensaios da Orquestra Castro Alves, da qual começou a fazer parte este ano, feito do qual se orgulha bastante. “Para mim, entrar para uma das formações mais avançadas do NEOJIBA foi uma grande conquista. Chorei muito quando soube do resultado”, relembra.  Assim, tem dividido sua vida na música entre o Núcleo e a participação na Orquestra.

Além das conquistas pessoais, Lívia enxerga no Núcleo de Prática Musical do Bairro da Paz uma fonte de esperança para toda a comunidade. “Vivemos em uma região carente, e o Núcleo acaba sendo para nós uma porta, um lugar onde as crianças e jovens podem enxergar oportunidades, um exemplo de que é possível seguir em frente”, observa.

A coordenadora de projetos comunitários da Santa Casa da Bahia, Martha Verônica, concorda. “Participar do Núcleo é uma experiência única na vida desses jovens. A cada apresentação, eles se sentem valorizados e isso contribui com o seu processo de formação tanto como músicos quanto como seres humanos”.

Hoje, o Núcleo no Bairro da Paz conta com três formações musicais: o Coral da Paz e duas com instrumentos de sopro e percussão, a Banda Experimental pedagógica, voltada para iniciantes, e a Banda Sinfônica da Paz, principal formação do projeto. Além de apresentações dentro da própria comunidade, a Banda Sinfônica acumula participações diversas na cidade de Salvador. Recentemente, fizeram a abertura do show de Saulo com a Orquestra Juvenil da Bahia, na Pupileira, no dia 9 de novembro. No ano passado, abriram o show de Arnaldo Antunes no mesmo local.

A cada apresentação de que participa, Lívia comemora. “Toda vez que vejo alguém se emocionar nos vendo tocar fico muito feliz, me emociono junto”, comenta. Cursando hoje o primeiro ano do ensino médio, quando a menina pensa no futuro, ela pensa em música. “Não sei exatamente o que vou fazer, mas com certeza será algo relacionado à música”.