12 fev 2019

Hospital Municipal de Salvador participa de projeto para melhoria dos atendimentos na emergência

O hospital é um dos 20 selecionados para o Projeto Lean nas Emergências, do Ministério da Saúde em parceria com o Sírio-Libanês, e o primeiro a desenvolver uma ferramenta para coleta automatizada dos indicadores de performance

O Hospital Municipal de Salvador (HMS), gerido pela Santa Casa da Bahia, acaba de receber a quinta das dez visitas programadas do Projeto Lean nas Emergências, iniciativa realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o hospital Sírio-Libanês.

O HMS foi um dos 20 hospitais selecionados em todo o país para participar do projeto que integra o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS) e visa reduzir a superlotação, melhorando o atendimento em urgência e emergência de hospitais públicos e filantrópicos.

O coordenador-médico de Emergência do HMS, André Gusmão, comenta sobre a expectativa com a participação no projeto. “Esperamos melhorar processos, fluxos e tempo de espera nos atendimentos da emergência, para prestar uma assistência cada vez melhor e a mais pacientes”, afirma.

Em cada uma das visitas, a equipe do Hospital Sírio Libanês apresenta uma ferramenta da metodologia Lean que pode contribuir com a melhoria do atendimento na emergência, e designam tarefas para a equipe do hospital desenvolvê-las no dia a dia a fim de otimizar suas dinâmicas e o funcionamento.

“O objetivo das visitas é fornecer a metodologia, treinar e empoderar as equipes nesse processo”, explica a especialista em Lean do Hospital Sírio-Libanês Taiana Galderice. “Trabalhamos com a concepção de que lugar de paciente internado não é na emergência, essa constitui um lugar de passagem”, acrescenta. Esta metodologia, que tem foco nas unidades de Emergência, beneficia todo o restante do hospital pois incorpora práticas de eficiência e produtividade nos processos de atendimentos desde a urgência e emergência, até internação e a alta hospitalar, “Aqui no HMS estamos envolvendo todas as equipes de forma a consolidar o conceito LeanThinking, uma forma de pensar e agir, e não apenas cumprir um conjunto de regras” afirma Adalberto Bezerra, diretor geral do HMS.

De modo a mensurar a efetividade da performance dos hospitais participantes o projeto utiliza um indicador internacional de avaliação da superlotação chamado NEDOCS.  Nele, são consideradas diversas variáveis como o número total de pacientes na emergência, a quantidade de pontos de cuidados (como leitos, macas etc), número de pacientes aguardando internação, leitos disponíveis nas enfermarias, tempo que leva para o paciente sair da emergência para a internação, tempo de espera para ocupar o leito, entre outros critérios.

No Hospital Municipal de Salvador, tais variáveis são coletadas de forma automatizada graças a uma solução desenvolvida internamente pela equipe de Tecnologia da Informação da Santa Casa da Bahia..

As métricas são geradas diariamente a partir de coletas realizadas em dois horários: às 10h e às 16h. Com a coleta automatizada, isso permite ganhar tempo e ter um panorama mais detalhado dos indicadores de superlotação considerados no Projeto. Além disso, a confiabilidade dos dados e informações recolhidos é maior.

“A automatização desenvolvida pelo Hospital Municipal é um grande feito porque fornece uma visão mais ágil para apoiar na análise e na tomada de decisões”, avalia a especialista do Sírio, Taiana Galderice. “Desse modo, o hospital tem grande capacidade para se tornar referência na gestão dos indicadores do Lean nas Emergências”, completa.

Além da coleta automatizada das métricas que influenciam os resultados do NEDOCS, o HMS desenvolveu também painéis para acompanhamento diário de alguns indicadores da operação na sua emergência como tempo decorrido desde a chegada do paciente até a finalização do seu atendimento e taxa de ocupação. Foram disponibilizados ainda painéis que permitem acompanhar em tempo real a assistência leito a leito, com informações referentes aos pacientes assistidos.